Notícias

Plenária da Abimci irá reunir associados de todo o país

Eventos

15/02/2014

Reunião irá debater temas como cenário econômico, terceirização de mão de obra e a nova política brasileira de florestas plantadas

No próximo dia 24, a Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente (Abimci) promove reunião plenária, em Curitiba (PR). A expectativa é de que a grande maioria dos associados participe do encontro, já que serão discutidos temas que afetam diretamente a atividade industrial do setor.

Já estão confirmadas a participação do economista chefe da Confederação Nacional das Indústrias (CNI), Flávio Castelo Branco, que irá apresentar um panorama da economia brasileira, e do advogado criminalista Luiz Antonio Câmara, que vai abordar as implicações para o segmento com a terceirização da mão de obra.

Na avaliação do superintendente da Abimci, Paulo Pupo, a participação dos associados é essencial para que a discussão desses temas seja ampliada e sejam encontradas soluções para superar alguns desafios impostos ao setor. “A Abimci tem trabalhado, em parceria com outras entidades, em frentes como a desoneração da folha de pagamento, substituições tributárias e isonomia comercial para produtos exportados nos principais mercados mundiais,  mas para que essas reivindicações saiam do papel é necessária a participação dos industriais em todas as discussões promovidas pela associação”, ressalta.Durante o encontro também serão discutidas as ações e demandas atuais da Abimci, serão avaliados alguns dados estatísticos de exportação e os custos industriais em geral.

Floresta plantada

Outro assunto de destaque na reunião será a nova Política Brasileira de Florestas Plantadas, que vem sendo construída pelo governo federal. A apresentação será feita pelo assessor da Subsecretaria de Desenvolvimento Sustentável da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República, Fernando Castanheira Neto. A SAE vem conduzindo a formulação da Política, que tem como uma das estratégias criar mecanismos de fomento econômico ao setor para atrair investimentos, reduzir riscos e inserir pequenos e médios produtores neste mercado, além de gerar emprego e renda. De acordo com Castanheira, ainda em julho deve ser concluído um documento com as propostas de política pública. “O importante é que os empresários percebam que o governo já está fazendo política para esse setor. A participação da iniciativa privada nessas discussões é fundamental”, completa.

Atendimento à imprensa

INTERACT Comunicação

Jornalista responsável: Juliane Ferreira

juliane@interactcomunicacao.com.br

 (41) 3079-2719