Publicações

A importância e abrangência do mercado interno

05/05/2021

Abril/2021

Uma indústria que abastece segmentos como construção civil, embalagens, moveleiro, energia, infraestrutura, entre outros. Os produtos processados mecanicamente, entre eles a madeira serrada, compensados, laminas painéis, molduras, pisos, portas, pellets, biomassa, entre outros, fazem parte do dia a dia do mercado interno de forma expressiva. E para um universo muito grande de empresas o consumo do mercado interno é a base de seus negócios, em praticamente todos os Estados do país.

Ainda que as exportações representem grande parte do destino de alguns produtos madeireiros do Brasil, a diversidade de usos para os produtos, o tamanho e a capilaridade do mercado nacional são características relevantes. 

A grande base produtiva do setor madeireiro nacional é composta por pequenas e médias empresas, que se adaptam aos diversos nichos existentes no mercado, tanto de produtos como em suas áreas de atuação e regionalização ao redor do país. As condições de demanda que o mercado interno oferece, indiferente da origem, região e qualidade da madeira são amplas e transversais, reforçando o jargão de que há oportunidades para todos.

Atualmente, estamos presenciando uma recuperação da confiança do setor em relação às demandas existentes, que por muito tempo estiveram reprimidas e que levou o setor nos últimos anos a enfrentar dificuldades em relação à sustentabilidade e quanto às tímidas taxas de crescimento. O momento é oportuno para o segmento recuperar perdas e se preparar para um futuro promissor. 

Com tanto potencial, as oportunidades em território nacional tendem a crescer. A retomada da construção civil brasileira – um dos carros-chefe da economia e grande consumidor dos produtos madeireiros – já vem sendo notada em diversas regiões do país e é uma aposta das empresas. O nível de estoque de produtos de madeira, tanto nas revendas como na indústria, precisa ser reposto e realinhado, assim como o segmento de embalagens industriais de madeira tem mostrado recuperação. Vale destacar ainda que as taxas de inadimplência do setor estão diminuindo. 

A pandemia trouxe um novo comportamento do consumidor na busca de melhorias das residências e de novos projetos de expansão bem como de novas construções. O trabalho remoto virou realidade para vários segmentos e está gerando novas demandas por otimização de espaços e melhor conforto, e consequentemente, em demanda por produtos. Em resumo, um círculo econômico e de consumo positivo e de recuperação no mercado interno.

Além disso, o crescimento do uso de produtos de madeira em sistemas construtivos como o wood frame e o avanço no desenvolvimento da norma técnica brasileira para esse modelo são mudanças reais de cenário que devem impulsionar esse nicho. Com a possibilidade de aumentar o consumo de produtos para esse fim, muitas indústrias têm investido no desenvolvimento de novas soluções e buscado conhecimento sobre a possibilidade de industrialização de outros produtos que atendam esse promissor mercado. 

Obviamente que ainda temos muitos desafios. Os custos logísticos são um fator determinante para o segmento madeireiro e sempre são avaliados com especial atenção e critério, tanto por quem produz como pelo comprador. Em muitas situações, o frete é um fator inibidor para fechamento de negócios em um país com a extensão territorial do Brasil. Preço do combustível e de pedágios também impactam diretamente nos negócios. O atual e complexo regramento do ICMS, com muitos Estados praticando regras distintas é outro enorme desafio tributário e de custos para as indústrias produtoras. Outros fatores como a melhoria em infraestrutura, acesso a crédito e renovação tecnológica do setor também são urgentes e necessários para alavancar o desempenho da indústria.

Há muito o que ser melhorado no ambiente de negócios! Mas a questão fundamental e básica é a manutenção da demanda e do consumo. Estamos em um momento positivo, mas todos precisam dar o melhor de si para que avanços reais aconteçam.

 

Paulo Pupo, superintendente da Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente (Abimci)
www.abimci.com.br