Publicações

Números que revelam a importância da indústria brasileira de madeira

31/08/2019

Agosto/2019

A Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente (Abimci) apresenta durante a Semana Internacional da Madeira, série de eventos realizados em setembro em Curitiba (PR), a principal publicação do setor industrial madeireiro e florestal do país – única com abrangência nacional.

O Estudo Setorial 2019 retrata o panorama mais atualizado do segmento ao apresentar aos leitores os dados socioeconômicos e as contribuições para a economia brasileira. Um instrumento de trabalho para as empresas no dia a dia e para a Abimci em ações constantes de representação institucional, defesa de interesses e promoção comercial dos produtos de madeira no Brasil e no mundo.

São mais de 150 páginas divididas em quatro capítulos – Floresta, Indústria, Mercado e Ações Prioritárias. Um documento robusto que atende às necessidades do mercado, das empresas associadas, de institutos de pesquisa, universidades, imprensa, agentes financeiros e de investimentos, órgãos de governo e outras entidades representativas.

O primeiro capítulo – Floresta – traz uma visão geral sobre a cobertura florestal mundial, bem como o perfil e as perspectivas da base florestal brasileira quanto à área, principais grupos de espécies e as contribuições do setor de base florestal na geração de renda, emprego, diversidade de fauna e flora, pesquisas, proteção do solo, nascentes e mananciais. O levantamento mostra, por exemplo, que além dos tradicionais plantios de eucalipto e pinus, outras espécies florestais vêm ganhando espaço no cultivo. A partir dessas informações é possível identificar o potencial industrial existente na diversidade da base florestal brasileira, composta por áreas nativas e plantadas.

O documento atualiza também o perfil da indústria brasileira madeireira com dados sobre uso da matéria-prima, porte, localização e números de empregos e de empresas no capítulo Indústria. Reconhecidas por uma produção que investe em desenvolvimento de produtos, melhoria técnica e novas soluções para os mercados doméstico e internacional, as 53.107 empresas brasileiras desse setor estão concentradas nas regiões Sudeste (37%), Sul (34%) e Nordeste (12%). São indústrias que exercem um importante papel na balança comercial do país, emprego e geração de renda, apesar dos gargalos que ainda afetam o custo de produção como infraestrutura logística nacional precária em algumas malhas rodoviárias; elevada carga tributária; baixo nível de automação; dificuldades de acesso ao crédito; inadimplência; exigência por produtos padronizados e certificados no mercado internacional; qualificação de mão de obra; e nível de investimento no setor florestal-madeireiro.

Na sequência, o documento apresenta o conteúdo de maior peso para as próximas ações da Abimci e tomada de decisões das empresas. O capítulo Mercado detalha os produtos processados mecanicamente a partir dos números de produção, consumo e exportação dos últimos dez anos de madeira serrada de pinus e folhosas, compensado de pinus e folhosas, portas, molduras e pisos. Uma das novidades desta edição é a inclusão de informações sobre osegmento de pellets e biomassa, que passa a integrar oficialmente a estrutura organizacional da Abimci com a criação de um Comitê específico. Essa parte do documento traz ainda alguns destaques de conteúdos sobre a normalização de madeira serrada, construções com madeira, certificação de portas, potencial da construção civil norte-americana e origem legal da madeira.

O documento encerra com as Ações Prioritárias da Abimci, que irão nortear a atuação da entidade na defesa de interesses, representação política e institucional, promoção comercial e desenvolvimento técnico dos produtos de forma a contribuir para a sustentabilidade nos negócios e aumento da competitividade. São eles: defender os interesses do setor industrial madeireiro; melhorar a competitividade da indústria madeireira; contribuir para um melhor desempenho das exportações brasileiras de madeira; ampliar a certificação de produtos e promover o aperfeiçoamento e o desenvolvimento de normas técnicas; estimular práticas sustentáveis e a transparência.

Assim, o Estudo Setorial Abimci 2019 é uma visão geral dos fundamentos relevantes que impactam o negócio industrial madeireiro e das contribuições do setor para o país. A Associação acredita que a transparência nos dados e a divulgação ampla do peso da indústria madeireira para a economia brasileira por meio da geração de emprego e renda, saldo positivo na balança comercial, conservação de áreas de preservação e fabricação de produtos a partir de matéria-prima renovável podem trazer resultados positivos para toda a base florestal.

São muitos os desafios conjunturais, que precisam ser superados. Para isso, nada mais importante que a informação precisa e de credibilidade para avançarmos e construirmos oportunidades de negócios para as empresas de base florestal na nova economia.

 

Paulo Roberto Pupo, superintendente da Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente (Abimci)