Notícias

Associados à Abimci avaliam cenário para 2016

Notícias

16/03/2016

A Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente (Abimci) promoveu no dia 9 de março reunião plenária com seus associados. Os empresários avaliaram as perspectivas para 2016 a partir dos números de exportação e cenários do mercado interno.

Na opinião do presidente da Abimci, José Carlos Januário, o momento é de atenção por conta das muitas indefinições políticas que afetam diretamente a economia do país. “Para quem exporta, por exemplo, o acesso ao crédito está caro, com restrições dos bancos, que têm diminuído os valores disponíveis”, informou.

Para Januário, os fabricantes precisam se conscientizar que é preciso diversificar, inclusive dentro de mercados tradicionais como os Estados Unidos. “Nosso concorrente é o mundo. Há boas perspectivas para os produtores, é preciso estar atento e em busca de informações para inovar”, afirmou.

Mercado interno

No mercado interno, que reflete a atividade econômica atual, a orientação é que os fabricantes estejam atentos à demanda desaquecida e ao crescimento da inadimplência. “Mesmo assim, sempre há espaço para reposicionar os produtos e encontrar nichos específicos para os produtos de madeira”, defende o presidente.

Ações da Abimci

A Abimci também atualizou as informações sobre o trabalho que vem desenvolvendo em várias ações estratégicas, como a NR-12. Um dos principais objetivos é a criação do anexo que trata especificamente dos segmentos do setor madeireiro. Desde o ano passado, a Abimci está estruturando a formatação do anexo da norma para que, na prática, esse seja um instrumento facilitador, tanto para um melhor entendimento da Norma pelas empresas, como por parte dos órgãos fiscalizadores.

Outro tema abordado foi a nova sistemática do ICMS, a alteração impacta diretamente nas regras de recolhimento dos impostos em relação às vendas interestaduais destinadas ao consumidor final, seja ele contribuinte ou não-contribuinte do ICMS (pessoa física ou jurídica).

Também foi feito um alerta quanto às novas regras para pesagens de contêineres, anunciadas pela Organização Marítima Internacional (IMO), que entram em vigor em 1º de julho. O novo regulamento estabelece critérios para pesagem e fixa responsabilidades pela informação de peso/massa bruta de contêineres embarcados em navios, evitando contradições e informações errôneas quanto ao peso real de contêiner embarcado, que pode resultar em má estivagem, com consequências danosas à embarcação, aos tripulantes e à própria carga transportada.

A entidade também posicionou os produtores de compensado sobre a possibilidade de re-designação do SGP nos Estados Unidos, ação que deve ser mais uma vez conduzida pela Abimci junto ao governo Americano. Ponderou também sobre as propostas de alteração do índice de conversão de toras pelo Ibama e os avanços para o desenvolvimento da norma para o sistema construtivo wood frame no Brasil. Outro tema abordado foi a necessidade de publicar um novo Estudo Setorial da Abimci ainda em 2016, para atualização dos dados macros do setor e informação junto aos diversos segmentos de mercado.

Quanto às ações para revisão dos reajustes da energia elétrica foi informado sobre o andamento das medidas judiciais já impetradas. Há expectativa de que seja retirado o valor do ICMS da transmissão da energia.

Já em relação aos pleitos de temas federais de defesa de interesses da indústria da madeira, principalmente de desonerações ou que causam impacto financeiro no governo como o Reintegra e a inclusão do setor no Plano Brasil Maior, a Abimci informou que aguarda as definições políticas e a retomada da agenda de trabalho do Governo para dar continuidade às ações em Brasília (DF).