Notícias

Países importadores de produtos de madeira anunciam medidas para reduzir impactos econômicos causados pela pandemia

Notícias

08/04/2020

Os governos de alguns dos principais mercados compradores de produtos brasileiros de madeira já anunciaram medidas com o objetivo de reduzir os impactos negativos nas economias em função da pandemia da COVID-19.

O Congresso dos Estados Unidos aprovou no dia 27 de março um pacote de estímulo histórico de 2 trilhões de dólares. O valor tem como destino ajudar trabalhadores, pequenas empresas e indústrias a enfrentar o momento de incertezas gerado pela pandemia.

O pacote inclui o envio de cheques diretamente para pessoas e famílias, expansão dos benefícios de desemprego, recursos para hospitais e prestadores de serviços de saúde, assistência financeira para pequenas empresas e 500 bilhões de dólares em empréstimos para empresas em dificuldades.

No início de março, o Federal Reserve (Banco Central dos EUA) já havia reduzido as taxas de juros em um total de 150 pontos-base, levando as taxas de fundos federais ao intervalo entre 0-0,25%. Além disso, foram criadas novas linhas de swaps com outros grandes bancos centrais para fornecer financiamento em dólares; programa de apoio a fundos do mercado monetário; várias flexibilizações de amortecedores de capital bancário; financiamento de suportes para empresas fornecerem empréstimos que se estendem por até quatro anos; financiamento para auxiliar no fluxo de crédito nos mercados de títulos lastreados em ativos; também se planeja estender crédito para pequenas e médias empresas.

Já na Europa, no dia 12 de março, o Banco Central Europeu (BCE) acrescentou 120 bilhões de euros ao atual programa de compra de ativos de 20 bilhões de euros mensais, além de flexibilização quantitativa. Em 19 de março, o BCE adicionou outros 750 bilhões de euros em flexibilização quantitativa, elevando o total para cerca de 1,1 trilhão de euros neste ano e incluiu a Grécia na carteira de títulos que compraria. Assim como nos Estados Unidos, também ouve corte na taxa de juros nas Operações de Refinanciamento de Longo Prazo (TLTROs, na sigla em inglês).

O Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) reduziu as taxas de juros em um total de 65 pontos-base, levando os juros bancários a um nível recorde de 0,10%, e anunciou a compra de títulos de 200 bilhões de libras.

O Reino Unido anunciou um plano de estímulo de 30 bilhões de libras e 330 bilhões de libras em garantias de empréstimos para empresas. Ofereceu, ainda, pagar até 80% das despesas com salários se os funcionários forem colocados em licença, até um máximo de 2.500 libras (US$ 2.930) cada por mês —se as empresas os mantiverem. As empresas também têm permissão para reter temporariamente 30 bilhões de libras (US$ 35 bilhões) de imposto sobre valor agregado (IVA).

O governo do México se comprometeu em ajustar o orçamento do governo e expandir os programas de gastos sociais, como subsídios para idosos, como forma de enfrentamento à crise.

Com informações da Reuters, CNN e Época Negócios